SEJAM TODOS MUITO BEM VINDOS

Aqui é o templo sagrado, em que nos permitimos desfrutar o contemplar da Vida, do Amor, da Alegria, do Perdão, da Gratidão, da Felicidade Plena, da verdadeira Paz ... tudo de bom. Navegue à vontade, deleite-se e se entregue plenamente com todo seu Ser. Um cantinho de amor, realizado para todos nós.

QUEM SOU EU?

EU sou presença Divina da Paz. Eu sou o EU

EU sou presença Divina da Luz. Eu sou o EU

EU sou presença Divina do Amor. Eu sou o EU

EU sou presença de Deus em ação. Eu sou o EU

EU sou a porta aberta do meu coração, que, nada, nem ninguém pode fechar. Eu sou o EU.

domingo, 29 de setembro de 2013

PESSOAS SÃO MÚSICAS ...


Você já percebeu ???

  Elas entram na vida da gente 
e deixam sinais.
Como a sonoridade do vento ao final da tarde.
  Como os ataques de guitarras e metais presentes em cada clarão da manhã.
  Olhe a pessoa que está ao seu lado e você vai descobrir, olhando fundo, que há uma melodia brilhando no disco do olhar. Procure escutar.
Pessoas foram compostas para serem ouvidas, sentidas, compreendidas, interpretadas.
  Para tocarem nossas vidas com a mesma força do instante em que foram criadas, para tocarem suas próprias vidas com toda essa magia de serem músicas.
E de poderem alçar todos os voos, de poderem vibrar com todas as notas, de poderem cumprir, afinal, todo o sentido que a elas foi dado pelo Compositor.
Pessoas são músicas como você. 
Está ouvindo? Como você. 
Pessoas têm que fazer sucesso. 
Mesmo que não estejam nas paradas. 
Mesmo que não toquem no rádio.




sábado, 28 de setembro de 2013

ÁGUAS REVOLTAS


De tempos em tempos nossa vida é atingida por águas revoltas, ondas violentas sacudidas por ventos contrários, que trazem na sua fúria, a força da destruição pelo impacto da negatividade, do pessimismo, do fracasso e da desmotivação. A vida se transforma numa grande tempestade e parece que perdemos o controle da situação.

Mergulhados em águas revoltas, a primeira coisa a ser atingida em nós é a percepção das saídas, das soluções - perdemos a visão do horizonte. Somos então atingidos pelo raio do medo e nos trancamos nos porões escuros da tristeza e da agonia; fechamos os olhos para a esperança. Sem saída, tudo se torna motivo para pânico.

O que é preciso então fazer para enfrentar as águas revoltas? Primeiramente, aprendendo a olhar para além das circunstâncias, das tempestades e das provações. Devemos olhar sempre para além do momento presente e projetarmos nossa visão para o amanhã. Toda crise é passageira, todo vento impetuoso rende-se aos caprichos de uma brisa suave. Depois da tempestade vem sempre a bonança!

É preciso ter forças para levantar a cabeça, aprender a olhar para cima e começar a ter visões de vitória, pois, olhando para baixo, ninguém percebe nada a não ser sua própria derrota e os limites que o próprio chão nos impõe. Aprenda a levantar a cabeça e mudar a direção do seu olhar, pois por trás das ondas violentas, corre sempre uma brisa de paz.

Levantar a cabeça é muito mais do que um gesto físico. É uma atitude da alma. É começar a perceber aquilo que a dor não tem permitido que se perceba; pois toda dor, especialmente aquelas nos fazem chorar por dentro, tende a ofuscar nossa visão e tirar de nós a sensação de prazer. Quando mudamos a direção do nosso olhar, e tal mudança possibilita a percepção, das saídas necessárias, dos caminhos de vitória que Deus nos está preparando, aí então tudo muda ao nosso redor. De cabeça erguida, descobrimos novas alternativas, enxergamos novos horizontes, novas conquistas.

As águas revoltas fazem parte dos grandes oceanos, mas também são os grandes oceanos que escondem tesouros incalculáveis e conduzem a novas descobertas. Ninguém consegue grandes conquistas sem ter coragem para enfrentar a violência dos ventos contrários. Toda tempestade passa! Nenhum temporal dura a vida inteira. O importante é não naufragar diante das ondas. Diante das águas revoltas é preciso manter a cabeça erguida, sempre olhando para o alto e para frente.

Precisamos, pois, aprender a olhar para além das derrotas e das tempestades ocasionais sempre com os olhos da esperança e a força da fé. Levantemos, pois, nossas cabeças! E vejamos que, após toda tempestade, vem sempre uma grande bonança, pois ainda que o pranto dure toda uma noite, a alegria vem pela manhã!

Fonte: por Pr. Estevam Fernandes de Oliveira  http://www.doalto.com.br/ajudadoalto/aguasrevoltas.htm

sexta-feira, 27 de setembro de 2013

AMANHÃ PODE SER TARDE DEMAIS


Existe um ditado que diz: “não se deve deixar para amanhã o que se pode fazer hoje”, oportunidades passam, com a mesma intensidade que aparecem, e amanhã pode ser tarde demais, pois muitas coisas podem acontecer em um minuto quem dirá em um dia, por isso é preciso ter certeza e noção da importância do que se está deixando para trás, já que o tempo não para; e assim sendo, não espera que você faça sua escolha para então seguir seu curso.


Há momentos na vida que precisamos escolher nosso caminho e o que fazer do nosso futuro logo, pois algumas oportunidades aparecem uma só vez; após isso, se não aproveita se esvai e ficaremos somente com as incertezas, os chamados “SE’s”, se eu tivesse feito isso, se eu não abrisse mão daquilo, e por aí vai. Creio que é preferível pecar por ação que por omissão, mais vale tentar e falhar, que ficar o resto da vida pensando no que poderia ter acontecido se eu tivesse tentado. Já insisti em muitos erros pensando poder corrigi-los, não consegui, porém tentei, dei meu máximo e não obtive êxito. Houve também momentos nos quais sabia que deveria desistir, e mesmo assim segui em frente, fui além dos limites aceitáveis e mesmo assim acabei falhando.

Contudo nunca me senti um derrotado, pois sempre corri atrás das oportunidades, insisti no que achava certo, e mesmo perdendo sempre tirava de cada falha uma experiência, algo que mais em frente me ajudaria de alguma forma. Tive coragem de renunciar a alguns sonhos para propiciar a realização de outros, e nunca deixei que os ”SE’s” da vida fizessem com que me arrependesse da escolha feita.

Com o tempo aprendi a medir meus esforços, não ultrapassando o limite do que está ao alcance. Hoje sei aceitar uma derrota, sei quando devo parar de lutar, e então vou à procura de algo novo, uma nova meta, deixando para trás o que passou, trazendo comigo só as experiências adquiridas e a certeza que não se deve gastar energias em uma batalha perdida, pois o verdadeiro vencedor não é aquele que obtêm êxito em todas as suas batalhas, mas sim aquele que consegue tirar das derrotas experiências que o farão não repetir os mesmos erros novamente.

“Há pessoas que pedem uma única oportunidade, outras tem várias e simplesmente não aproveitam.”

Fonte: Rivaldo Yagi

quinta-feira, 26 de setembro de 2013

QUEM SOMOS OU QUEM PENSAMOS QUE SOMOS?



Eckhart Tolle inicia assim mais um dos capítulos interessantes de "O despertar de uma nova consciência": "Conhece-te a ti mesmo".


Quem já não ouviu falar do Templo de Apolo em Delfos? A inscrição na entrada do Templo é relembrada em muitas obras...

E, agora, quem já não se fez esta pergunta?

Bom, ainda que a pergunta nos traga algum desconforto, a sua resposta pode não ser aquela que mais aguardamos.

"Na Grécia antiga, as pessoas visitavam o Oráculo esperando descobrir o que o destino lhes reservava ou o que fazer em determinada situação. [...]. "Conhece-te a ti mesmo". O significado implícito dessas palavras é: antes de qualquer indagação, faça a pergunta fundamental da sua vida: quem sou eu?"

Fez? E qual foi a sua resposta?

"Quem sou eu"?

Está pensando ainda, certo? Ou será que você está desconfiado(a) de que as suas respostas não lhe convencem muito sobre quem você é...?

De qualquer modo, não há saída para esta indagação. Uma vez feita, nem o Oráculo Sagrado poderá responder-lhe. E sabe o porquê? Simplesmente porque:

"Conhecer a si mesmo é algo muito mais profundo do que a adoção de um conjunto de idéias ou crenças. As idéias e crenças espirituais podem, no máximo, ser indicadores úteis[...]. O profundo autoconhecimento não tem nada a ver com nenhuma idéia que esteja flutuando em torno da nossa mente. Conhecer a nós mesmos é estarmos enraizados no Ser em vez de estarmos perdidos na nossa mente".


Fonte: E. Tolle inicia assim mais um dos capítulos interessantes de "O despertar de uma nova consciência":


"Conhece-te a ti mesmo".

Quem já não ouviu falar do Templo de Apolo em Delfos? A inscrição na entrada do Templo é relembrada em muitas obras...

E, agora, quem já não se fez esta pergunta?

Bom, ainda que a pergunta nos traga algum desconforto, a sua resposta pode não ser aquela que mais aguardamos.

"Na Grécia antiga, as pessoas visitavam o Oráculo esperando descobrir o que o destino lhes reservava ou o que fazer em determinada situação. [...]. "Conhece-te a ti mesmo". O significado implícito dessas palavras é: antes de qualquer indagação, faça a pergunta fundamental da sua vida: quem sou eu?"

Fez? E qual foi a sua resposta?

"Quem sou eu"?

Está pensando ainda, certo? Ou será que você está desconfiado(a) de que as suas respostas não lhe convencem muito sobre quem você é...?

De qualquer modo, não há saída para esta indagação. Uma vez feita, nem o Oráculo Sagrado poderá responder-lhe. E sabe o porquê? Simplesmente porque:

"Conhecer a si mesmo é algo muito mais profundo do que a adoção de um conjunto de idéias ou crenças. As idéias e crenças espirituais podem, no máximo, ser indicadores úteis[...]. O profundo autoconhecimento não tem nada a ver com nenhuma idéia que esteja flutuando em torno da nossa mente. Conhecer a nós mesmos é estarmos enraizados no Ser em vez de estarmos perdidos na nossa mente".


quarta-feira, 25 de setembro de 2013

NUNCA É TARDE DEMAIS!


Todos nós temos a impressão de que o tempo está passando muito rápido. As horas, os dias, as semanas , os meses e os anos correm numa velocidade impressionante. Tudo vai ficando para trás; inclusive, algumas esperanças.

Entre a percepção do tempo que passa e a consciência das nossas necessidades, nasce a experiência da frustração. Não dá mais tempo!... Passou!... Ficou para trás! É tarde demais! São expressões típicas de quem percebe que os sonhos se foram!

Quaisquer que sejam nossos desejos, eles revelam nossas necessidades. Tanto as mais urgentes, como aquelas a longo prazo. A realização dos desejos é um fator crucial para a saúde emocional. Frustração e alegria não se combinam. Por isso, lutar pelo que se quer é fundamental. Desistir, jamais! Tarde demais é um tempo que não existe!

Nunca é tarde para se lutar, pela felicidade nem tampouco é tarde para se acreditar na possibilidade de mudanças e de restauração. Tarde, é uma conceito de tempo presente na mente cansada dos que, por fraqueza ou medo, entregam-se ao desespero e fazem sociedade com a derrota. A desistência é o caminho mais fácil dos que não gostam de lutar. A vida é uma maratona permanente, que condecora aqueles que jamais abandonam as pistas, ainda que cheias de obstáculos.

Duas forças interagem em nós, revigorando nossa mente e fortalecendo nosso espírito de luta. São elas: a auto-ajuda e a ajuda do alto. Somos parceiros de Deus no esforço para a superação de nossas dificuldades. Não que Deus precise de nós para fazer algo; nós é que precisamos fazer algo, por nós mesmos, com a ajuda de Deus.

Cada um de nós deve lutar para não se entregar ao caos, à morte, ao desespero, ao abandono. É preciso mudar da mentalidade, de vocabulário e de atitudes diante das dificuldades. Quem se sente derrotado, já o é dentro de si mesmo. Quem fala positivamente colhe os frutos de um falar vitorioso. Quem toma atitudes de perseverar e levantar a cabeça, certamente verá que, tarde demais é um tempo que não existe.

Por outro lado, apesar da auto-ajuda, não nos bastamos a nós mesmos. Somos por natureza limitados. Nossa condição humana nos impõe vários limites. Daí, não podemos prescindir da ajuda do alto, do poder e da força que jamais acabam. De um Ser que, sendo Deus, é infinito. A auto-ajuda só é eficaz com a ajuda do alto.

Nunca é tarde demais! O tempo de Deus não se esgota; a força de Deus jamais acaba; o poder de Deus é sem limites; o amor de Deus é imensurável. Creia nessas verdades! Faça do seu coração um celeiro repleto de fé e esperança. Levante a cabeça e ajude-se! Erga os braços e solte a voz suplicando a ajuda do alto e você verá que, apesar das lutas, para quem busca a Deus, tarde demais é um tempo que não existe!


Fonte: por Pr. Estevam Fernandes de Oliveira  http://www.doalto.com.br/ajudadoalto/nuncaetarde.htm

terça-feira, 24 de setembro de 2013

A FORÇA DA ESPERANÇA


Confrontados constantemente com situações difíceis de serem superadas, bombardeados quase que diariamente com notícias negativas, muitas delas ligadas às pessoas amadas, que nos falam da perda de um emprego, de enfermidade crônica, de assaltos, sequestros, lutos, falências, divórcios, enfim, são tantas notícias negativas, que muitas vezes somos tão afetados por elas que ficamos triste e inseguros, e vamos perdendo um pouco de alegria e da esperança de que ainda viveremos dias melhores. Em meio tantos dissabores, tudo podemos perder, menos a esperança.


Viver sem esperança é abrir as defesas para os inimigos da alma, que vivem de plantão, escondidos na periferia da nossa existência. Eles quando nos encontram vulneráveis são rápidos no agir, especialmente como destruidores da alegria, dos sonhos e das motivações. Viver sem esperança é quase não viver.

São inúmeros os benefícios que a esperança nos traz, todavia, maiores ainda são os prejuízos causados pela sua ausência. Nossa existência fica contaminada pelo vírus do desespero que por sua vez, produz outros males nocivos à alma, como: angústia, tristeza, revolta, pessimismo, falta de fé, desmotivação, murmuração constante, negativismo e, até mesmo a depressão. Sem esperança nos sentimos num beco sem saídas; num mundo sem ninguém. É a sensação horrível de quem se abandona, por sentir-se completamente abandonado. A ausência de esperança é o próprio caos.

Com a maturidade, que se dá por conta das experiências, a vida nos tira muitas coisas, ao tempo que nos presenteia com tantas outras. Perdemos, por exemplo, a utopia de um mundo cheio de amor, onde não há lugar para as guerras, para o ódio e a mentira. Mas, outrossim, nos tornamos mais experientes, ao ponto de entendermos que sem Deus não há muito porque esperar. Ele é a única força que não fraqueja; É a luz que jamais se apaga.

É a experiência com um Deus que nunca falha, e exatamente por causa Dele, que em nós brota outra vez a esperança, como o combustível para a vida. Ela é força geradora de nossos de sonhos; é a energia que movimenta nossa vida; é a luz que sobrevive à escuridão. A esperança é o amanhã antecipado por meio dos olhos da fé. Ela conduz o nosso olhar na direção da vitória.

Por causa da esperança acreditamos no amanhã. Pela sua força, alimentamos a fé e o amor. Ela injeta vida em nossa existência e nos faz sonhar outra vez.

Na verdade, a esperança é o Emanuel (Deus conosco), não encarnado, mas, internalizado em nossa existência. A esperança é Deus, mas, é Deus agindo dentro de nós.


Fonte: por Pr. Estevam Fernandes de Oliveira  http://www.doalto.com.br/ajudadoalto/aforcadaesperanca.htm

segunda-feira, 23 de setembro de 2013

OLHOS LUMINOSOS E OLHAR EM TREVAS



Nos dias que correm estamos acostumados a viver sem refletir, a andar sem medir os passos, a falar sem pensar, a agir por instinto. Enfim, vivemos sem parar, sem tempo para nós mesmos, sendo levados pela vida. Assim, muitas vezes atropelamos pessoas que nos são caras, sem sequer percebermos, tal a velocidade em que viajamos, outras vezes somos atropelados e, assim como nós, o outro nem sequer nota o mal que fez. A vida é então uma sucessão de mal-entendidos em que o ofensor de hoje é o ofendido de amanhã. Esperamos sempre o pior dos outros e, exatamente por esperarmos o pior, raramente nos decepcionamos, pois em qualquer relação sempre haverá o momento em que magoaremos alguém, ou seremos magoados.Nos dias que correm estamos acostumados a viver sem refletir, a andar sem medir os passos, a falar sem pensar, a agir por instinto.

Enfim, vivemos sem parar, sem tempo para nós mesmos, sendo levados pela vida. Assim, muitas vezes atropelamos pessoas que nos são caras, sem sequer percebermos, tal a velocidade em que viajamos, outras vezes somos atropelados e, assim como nós, o outro nem sequer nota o mal que fez. A vida é então uma sucessão de mal-entendidos em que o ofensor de hoje é o ofendido de amanhã. Esperamos sempre o pior dos outros e, exatamente por esperarmos o pior, raramente nos decepcionamos, pois em qualquer relação sempre haverá o momento em que magoaremos alguém, ou seremos magoados.
Eu não sei quanto a você, mas tenho vivido na pele estas verdades. Sim, a vida muitas vezes é uma penosa sucessão de mágoas que sofremos e mágoas que infringimos, sem perceber. Por estarmos magoados, magoamos, inconscientemente às vezes. E outras vezes recebemos a afronta e não entendemos porque, já que não temos consciência do mal que fizemos.
“Quem há que possa discernir as próprias faltas? Absolve-me das que me são ocultas”. Salmo 19
Diz o salmista ao perceber quanto é enganoso o nosso coração e como inúmeras vezes cometemos desatinos sem nos apercebermos. Sim, somos devedores, somos omissos e orgulhosos, e tendemos a achar que na equação da vida nas nossas relações interpessoais, ofendemos menos do que somos ofendidos.
Temos a tendência adâmica de sempre relativizar nossos erros e de por a culpa no outro, fugimos de nossas responsabilidades e, via de regra, esperamos sempre que o outro dê o primeiro passo.
Mas por paradoxal que pareça, tal postura só nos faz aumentar a doença e a dor. Quanto mais resguardamos nosso coração, mais perdemos de viver, mais deixamos de ser relevantes e nos tornamos mais um na multidão. Quando nos trancamos em auto-defesa e nos protegemos do outro com couraças, ali, dentro de nossas fortalezas, nos tornamos cada vez mais solitários, menos reflexivos, mais bicho e menos humano.
Quando nos trancamos e protegemos, quando nos blindamos, passamos a estar prontos para o mal, e nossa percepção se volta para discernir o mal no outro. Uma palavra mal dita, um momento de explosão, um piada de mau gosto, uma situação mal explicada, tudo passa a ser motivo de especulações buscando enxergar a má intenção por trás do ato.
A forma como vemos e discernimos o mundo termina por afetar a nós mesmos. Pois, segundo Jesus, os nossos olhos são a lâmpada do corpo, a forma como enxergamos o mundo será refletida em nós mesmos.
Assim, se enxergarmos o mundo de forma positiva e entendermos nossas relações como trocas onde os tropeços e erros de parte a parte são naturais, então todo o nosso corpo será luminosos e atrairemos relações positivas, pois a luz atrai aqueles que são da luz.
No entanto, se a forma como nos relacionamos é negativa seja por excesso de expectativas, seja por fazermos de um relacionamento o centro de nossas vidas, seja por esperarmos sempre o mal e nos julgarmos fadados ao fracasso, então todo nosso corpo são trevas e atrairemos sempre maus relacionamentos, pois na doença da alma os iguais se atraem. Assim, se a luz que há em nós são trevas, diz Jesus, que grandes trevas serão! Pois atraindo mais e mais pessoas em trevas logo estaremos no mais abissal negrume em nossa existência.
O convite de Jesus é para termos a coragem de derrubar os muros, demolir as fortalezas, romper com as couraças e corajosamente viver. È saber que seremos magoados e magoaremos durante nossa caminhada, mas termos a disposição, a intrepidez e a ousadia de saber perdoar e saber pedir perdão.
Fonte: por Pr. Denílson Torres     http://www.doalto.com.br/ajudadoalto/olhos_%20luminosos.htm

domingo, 22 de setembro de 2013

ORAÇÃO DA PRIMAVERA


Que a primavera nos traga,
pelo perfume das flores e das ervas,
pelo canto das aves e o zumbido dos animais,
a percepção de um modo único e sagrado.
Que a primavera nos traga, pelo murmúrio dos riachos e nascentes, pela brisa suave que nos traz as vozes das árvores,
a noção de que o Amor entre as criaturas da Terra é o Caminho para que todos cresçamos.
Que a primavera nos traga, pelo calor confortável do sol sobre nossas cabeças e pela luz brilhante a refletir nos lagos e na relva úmida, a ciência de que somos responsáveis por tudo o que nos rodeia, e pela restauração da Vida.
Que as flores venham!
Que venham os pássaros!
Que venha a Primavera!
Que tudo seja doce e florido!
Que a cada dia tenhamos alegria e prazer de viver!
Que assim seja, que assim se faça!

sábado, 21 de setembro de 2013

DIA INTERNACIONAL DA PAZ - 21 DE SETEMBRO


ORAÇÃO PELA PAZ


Há Uma Paz, Um Poder, Uma Presença, que permeia e penetra em todo o Universo. É uma Força de Deus. É a Fonte de toda a Existência. Ela está ativa em todas as coisas. Ela é uma Energia disponível a toda a humanidade e está presente agora, neste exato momento.

Eu compreendo agora que eu sou um pilar da Paz. Eu sei que eu sou uno com este Poder. Esta Presença Gloriosa é o alicerce do meu ser. Esta Energia Cósmica flui através de mim e me conecta com toda a Humanidade.

Eu escolho agora usar este imenso poder da minha mente para criar um mundo digno de todos nós. Eu dirijo os meus pensamentos em direção à Paz, ao Amor, à Cooperação e eu posso ver todas as pessoas do mundo, unidas em uma Celebração Jubilosa da Vida. Esta energia que eu libero, transforma este momento e toda a eternidade. As gerações que vierem, serão abençoadas com um mundo baseado na Paz. Pois eu sei agora que a Paz começa comigo e é o legado legítimo para as Humanidades. Um legado que eu vivo diariamente com todos os meus pensamentos, palavras e ações.

A Paz está aqui agora!
A Paz está aqui para sempre!

Eu agradeço por este momento sagrado de Paz. Eu agradeço por uma eternidade de Paz. Eu agradeço pela minha família global que vive na Paz. Eu agradeço pelos laços de amor que nos unem com força e coragem para criar o mundo dos nossos sonhos.

Um Mundo de Paz.
Um Mundo Amoroso.
Um Mundo Pleno de Infinitas Possibilidades.

Eu sou Uno com toda a Existência. Eu sou Uno com a Fonte da própria Vida. Eu sou Uno com a Presença da Paz e compartilho estas bênçãos com todo o mundo.

Eu sei que as minhas palavras são cheias de Verdade e de Poder e eu as libero à Lei Universal da Vida. Eu sei que como eu o disse, assim será.

E assim é.
Paz. Paz. Paz.
Amém.


Fonte:  Regina Drumond 

sexta-feira, 20 de setembro de 2013

PRIMAVERA



Ela vem surgindo “ PRIMAVERA”

Mais um Portal se abre na janela do Tempo impulsionando a natureza e a humanidade " EQUINÓCIO DE PRIMAVERA"

É momento de reflexão, revisão de valores e despojamento de situações, ideias e sentimentos que nos enfraquecem e dar espaço ao novo. Isto quer dizer que para alcançarmos a harmonia interior e exterior, torna-se necessário a busca e o exercício constante do equilíbrio. Também significa trabalhar para ir de encontro ao nível máximo de harmonia, de paz e de amor em nós e na nossa relação com a natureza, com o Cosmos e com Deus.

É o momento que muitos consideram o início do ano pois é quando ocorre a força de arranque da vida na Terra, o desabrochar das sementes.

Um tempo de renascimento, cor, alegria, energia!
Um momento de celebração milenar em que o homem testemunha, extasiado e festivo, o desabrochar exuberante da vida natural.

quinta-feira, 19 de setembro de 2013

ANDANDO NA CONTRAMÃO




Não pretendo fazer aqui, a apologia da indisciplina, nem tão pouco, incentivar o desrespeito às leis do trânsito. A contramão a que me refiro tem a ver não com o tráfego de veículos nas cidades, mas com o trânsito dos sentimentos, dos valores, e das atitudes, que circulam no coração. É o movimento da vida que me interessa aqui, com os "engarrafamentos" que impedem o fluxo dos sonhos e, muitas vezes, nos obrigam a desvios que terminam em becos sem saída.
 
Percebendo a vida como uma viagem, é preciso coragem e ousadia para alterar algumas rotas, e para tanto, é necessário aprender a andar na contramão, pelo menos, em algumas ocasiões. Senão vejamos:
 
No momento em que a grande maioria das pessoas está ‘desencantada’ com a vida, e o pessimismo e o negativismo vão dominando os pensamentos, destruindo em muitos a coragem para lutar, andar na contramão é ser otimista. Hoje, mais que nunca, é preciso cultivar o otimismo; não aceitar o caos como algo já determinado e, lutar para alterar as rotas do desânimo e da apatia. As verdadeiras mudanças começam dentro de nós mesmos, e são elas que redesenham os caminhos da nossa existência.
 
Uma outra atitude que vai ao sentido contrário à maioria é a perseverança, isto é, a determinação de continuar lutando. Nós somos a geração das facilidades e das respostas imediatas. O imediatismo influencia de tal forma a nossa existência, que o bom, não é mais aquilo pelo qual lutamos, mas o que recebemos pronto e rápido. Por isso mesmo, por falta de perseverança, muitos dos nossos sonhos vão ficando para trás e as conquistas atuais como: casamento, família, trabalho, etc., correm o risco de serem também destruídos. Sonhar, lutar, persistir, cair, mas jamais ficar prostrado, são virtudes presentes nas biografias de homens e mulheres que viveram, venceram e fizeram a diferença.
 
Uma outra forma de se andar na contramão, é a coragem para ser verdadeiro. Nossa cultura é edificada a partir de muitas contradições, e o “faz de contas” passou a ser algo indispensável no cardápio da sociedade. Chegamos ao ponto tal, que as pessoas acham que e vergonhoso ser honesto, verdadeiro e transparente. É preciso romper com o tráfego das mentiras, que a “cultura” vem legitimando como o sentido único para a vitória. É preciso bloquear as saídas por meio do suborno, do engano e da ilusão. Seja uma pessoa verdadeira! Tenha orgulho de si mesmo. Não há virtude alguma em viver enganando-se a si mesmo e tentando enganar aos outros.
 
Finalmente, andar na contramão, é decidir ser diferente, quando necessário, ainda que, isto implique caminhar no sentido oposto à “mão única” escolhida pela maioria, como por exemplo:
-     Se todos desistirem, continue lutando;
-     Se todos descrerem, exercite a fé;
-     Se todos murmurarem, louve a Deus;
-     Se todos odiarem, aprenda a amar;
-     Se todos mentirem, fale só a verdade. 
Enfim, nesta viagem que é a nossa vida,: os caminhos de Deus, que sempre conduzem a vitória, à felicidade e à paz, muitas vezes, são percorridos na contramão da história, especialmente quando esta história é marcada pelas rotas da tristeza, da derrota e da destruição. Por isso, andar na contramão, pode ser também, andar com Deus. 
Fonte: por Pr. Estêvam Fernandes de Oliveira http://www.doalto.com.br/ajudadoalto/andandonacontramao.htm

quarta-feira, 18 de setembro de 2013

O PARAÍSO ESTÁ DENTRO DE TI




Por mais difíceis que as circunstâncias da sua vida sejam, foi o âmago do seu ser que as atraiu... Entenda, o objetivo de todas elas é elevar o seu espírito...

A sua personalidade (o ego) as rejeita e as considera por demais dolorosas por não querer aceitar a sua responsabilidade sobre elas... ele, o ego, alimenta a ilusão de que você é uma pobre vítima e o induz a acreditar que a solução está fora das suas mãos...

Creia, o interesse do ego é que você se esquive de tomar uma atitude que o levará à sua própria transformação interna...

Amado, não vê que somente através da aceitação de suas limitações e erros, do desapego ao seu falso eu, poderá alcançar a felicidade plena? Não se deixe enganar, o ego irá relutar ponderando, analisando, afastando-o da comprovação da única verdade: você é o único que pode te libertar da dor... Admita isso e com coragem resoluta faça as mudanças necessárias...

Acredite, o paraíso está dentro de ti, no seu abençoado coração... Ele é o local onde estão guardadas todas as virtudes divinas imprescindíveis para vencer seu falso eu....dentre elas a primordial, a humildade...

Lá no fundo você sabe que é Luz e conhece todos os mistérios do silêncio... sabe que o coração é a sua conexão com a Verdade... Portanto, pare de lutar contra ele, o aceite e se entregue sem resistências...

Vá em frente, perdoe as falhas do passado e renasça no Agora seguindo o seu coração que arde nas chamas do Amor Divino...

Amor sempre Amor.

terça-feira, 17 de setembro de 2013

PERDAS E DANOS



Certamente que a vida não conhece apenas a realidade dos ganhos e dos sucessos. Percebemos, desde cedo, nesse caminhar cotidiano, que nem tudo são flores. As perdas também fazem parte da nossa caminhada. Ocorre que, algumas delas trazem danos profundos à nossa existência, especialmente, num momento de crises acentuadas, como estamos vivendo.
A primeira grande perda no conjunto dessas crises é a perda da esperança. Sem esperança, ninguém vive. Percebemos um desespero generalizado e esta situação vai se agravando, gerando em muitos uma apatia pela vida, um desencanto com as pessoas e um descaso pelo amanhã. Se não sonhamos na temos razões para ter esperança, pois ela é projetada a partir de nossos sonhos. É preciso mudar tal perspectiva e começar a percorrer o caminho inverso, onde nossas visões se libertem do presente caótico e contemplem um amanhã vitorioso.
Uma outra grande perda como consequência de tantas crises, tem sido a perda da alegria. Os danos psicológicos e existenciais que este tipo de perda causa são irreparáveis. Perder a alegria é como perder a vontade de viver. A alegria adorna nossa alma e nos torna pessoas mais bonitas. O sorriso nos lábios, a doçura no falar, o brilho nos olhos são expressão de uma beleza muito especial: a beleza interior. Quem perde a alegria, torna-se vulnerável às revoltas, à sólida e às angústias e, até à depressão. Procure buscar a alegria para além das coisas e das circunstâncias. Nossa vida é a maior riqueza que possuímos. Nenhum bem, nenhum valor, pode ser comparado com a preciosidade da vida. Porque então trancá-la nos porões da tristeza? Sem a alegria, a existência torna-se um deserto sem água, sem beleza e sem vida.
Por fim, uma outra perda é aquela que está relacionada com as nossas palavras. Estamos perdendo a prática de uma linguagem que revele entusiasmo, fé, determinação e altruísmo. Palavras são sementes de vida ou de morte; são também sinalizadoras da nossa interioridade. A palavra expande nosso presente, como também pode sepultar nossos futuros sonhos.
Em época de crises agudas, as pessoas tendem a fazer uso de palavras negativas, pessimistas, pejorativas, torpes, enfim, palavras que geram morte e destruição, perpetuadoras da dor e do sofrimento. O mal também é atraído pelas palavras. Proclamemos palavras de vida de esperança, de vitória, de luz, de alegria. Na vida, colhemos não apenas o que plantamos, mas também o que falamos. Há poder nas palavras e poucos se dão conta desta verdade.
Diante das tantas crises que assolam nossa existência, é de vital importância que não percamos a esperança, a alegria e nem a linguagem positiva. Os danos serão menores em função da nossa visão do futuro, nosso estado de espírito e de nossa linguagem altruísta. Afinal de contas, tudo passa, inclusive, as crises, e a vida continua. Tem razão o escritor sagrado ao afirmar: “a tribulação produz a paciência, a paciência a experiência e a experiência a esperança”. E é esta que nos faz começar tudo outra vez, entre perdas e danos.  
                                                  Fonte: por  Pr. Estêvam Fernandes de Oliveira  http://www.doalto.com.br/ajudadoalto/perdaseganhos.htm

segunda-feira, 16 de setembro de 2013

PAZ NA TURBULÊNCIA


Uma das mais belas passagens bíblicas conta-nos a história na qual o Mestre atravessava de barco com os seus discípulos, indo de Jerusalém na direção de Cafarnaum. A viagem transcorria tranqüila, sol claro, ventos calmos e águas serenas. De repente, a calmaria deu lugar à tempestade e o tempo escureceu, os ventos sopravam em sentido contrário e as águas revoltas geraram ondas violentas - fez-se uma grande turbulência, e o barco começou a naufragar.
Não são poucas as pessoas que já experimentaram na vida algum tipo de situação em que, de repente, tudo se transtorna. Do casamento às finanças, dos sentimentos às relações de amizade, da saúde aos planos mais corriqueiros, tudo é sacudido pela força dos ventos contrários e pela fúria das águas turbulentas. A impressão que se tem é que a vida vai naufragar.
Quando isso ocorre, a primeira reação é de revolta. Quando uma tragédia bate à nossa porta, achamos que Deus é injusto para conosco. Nós nunca estamos preparados para as tempestades ameaçadoras. imaginamos que somos imunes ao lado trágico da vida, o que é puro engano. Nesta vida, ninguém está isento das provações.
Pouco a pouco, percebemos que as esperanças foram espalhadas pelos ventos, nossas defesas, uma a uma vão sendo destruídas e nossas forças já estão enfraquecidas. O casamento se desmorona, as finanças entram em colapso, as pessoas nos abandonam, os filhos ficam distantes, e para as doenças, não há mais remédio. O pânico precipita o naufrágio, pois ele tira as visões do horizonte e amplia o raio da escuridão.
Uma terceira possibilidade real, em meio às águas turvas, é a sensação de vitória sobre a tempestade. Todo vento forte também é passageiro. A Bíblia diz: "depois da tempestade, vem a bonança" (Lc. 8:22-25). Certamente que não é muito fácil agir com serenidade e firmeza, quando tudo ao nosso redor é ameaçador, todavia, quem não sabe manter a calma em meio às turbulências da vida, não saberá jamais encontrar o caminho das águas tranqüilas. Há sempre um porto qualquer na rota dos oceanos.
No episódio bíblico, os discípulos de Jesus, percebendo que o "quase" naufrágio, chamaram por Jesus e logo veio o socorro e a vitória. Quando Ele ordenou, as águas e os ventos lhe obedeceram - tudo ficou calmo.
Não entre em pânico se, porventura, alguma tempestade estiver ameaçando sua paz. Não permita que a revolta domine seu coração, pois a vida também é feita de experiências amargas. O importante é lembrar que: "ainda que o pranto dure uma noite, a alegria vem pela manhã" (Sl. 30:5).
Contudo, o mais importante ainda é saber que Deus está no barco da sua vida, e por isso, ainda que seja grande a tempestade, o barco jamais vai naufragar. Com Ele, tudo é vitória, pois até os ventos e as águas estão sob seu controle. Proclame hoje, amanhã e sempre: "Tudo posso naquele que me fortalece" (Fp. 4:13).
Fonte: por  Pr. Estevam Fernandes de Oliveira    http://www.doalto.com.br/ajudadoalto/paznaturbulencia.htm

domingo, 15 de setembro de 2013

ACORDE! É TEMPO DE DESPERTAR!


Bom dia! Acorde...

É hora de despertar... É hora de assumir a sua filiação divina e reconquistar o seu poder de SER... 
SER LUZ...

Escute o seu coração, ele sabe que a hora é agora! Viva sem medos, entregue-se a essa maravilhosa experiência com os olhos fixos na LUZ... você não irá se perder...

Não fique apegado à crença de que a vida é dor, miséria ou maldade... Quando vista com os olhos do espírito, ela é uma dádiva... É vivendo que podemos compreender a importância de amar sem limitações, sem "poréns" ou expectativas...

Chegou a hora de acordar para a verdadeira Vida... A vida do Espírito...
Siga o seu coração... ele sabe que chegou a hora de despertar...

Não tenha medo de sentir, de se soltar no vazio... a LUZ está lá...

Viver a vida plena é também vivenciar o AMOR PLENO...

Desperte, abra os olhos e veja o mundo, as pessoas e todas as criaturas como expressões do AMOR DIVINO... Experimente sem medo... Sorria... Seja grato... Você é livre...

sábado, 14 de setembro de 2013

PÉROLAS


Uma ostra que não foi ferida, não produz pérolas.

Pérolas são produtos da dor; resultado da entrada de uma substância estranha ou indesejável no interior da ostra, como um parasita ou um grão de areia.

As pérolas são feridas curadas.

Na parte Interna da concha é encontrada uma substância lustrosa chamada Nácar.  Quando um grão de areia a penetra, as células do Nácar começam a trabalhar e cobrem o grão de areia com camadas e mais camadas, para proteger o corpo indefeso da ostra.

Uma Ostra que não foi ferida de algum modo, não produz pérolas pois as pérolas são feridas cicatrizadas.

·        Você já se sentiu ferido por palavras rudes de alguém?
·        Já pôs a sua confiança em alguém que lhe enganava?
·        Já foi acusado de ter dito e feito coisas que não disse e não fez?
·        Já foi traído a ponto de ver seus sonhos ruírem?
·        Você já sofreu os duros golpes do preconceito?
·        Já recebeu o troco da indiferença e,
·        De algum modo, sente-se injustiçado ou prejudicado por alguém?


Então,  produza uma pérola.
Cubra suas mágoas com várias camadas de amor.

Infelizmente são poucas as pessoas que se interessam por este tipo de movimento. A maioria aprende apenas a cultivar ressentimentos, deixando feridas abertas, alimentando-as com vários tipos de sentimentos pequenos e, portanto, não permitindo que cicatrizem.

Na prática, o que vemos, são muitas  ostras vazias.  Não porque não tenham sido feridas, mas, porque não souberam perdoar, compreender e transformar a dor em amor,

Eu lhe convido a refletir sobre isso.

sexta-feira, 13 de setembro de 2013

REFLEXÕES SOBRE UNIDADE E DUALIDADE


Realidade e Ilusão...


A Unidade é Luz, é Paz e Entendimento, é a expressão do Amor em todos os seus aspectos. A Unidade é Verdade, Realidade e Pura Consciência.


A dualidade, pelo contrário, é simplesmente a dúvida sobre a realidade da Unidade, ou seja, é a ignorância sobre a interligação e a natureza complementar que há entre tudo o que existe, e o que isso implica.


A Unidade é o Todo Abrangente, Infinito e Eterno e manifesta-se no plano físico com o objetivo único de compartilhar o Amor. Ela torna visível a sua Luz imanente através da materialização do Amor Universal no mundo das formas.


A dualidade por outro lado, é o resultado da ilusão na separatividade individual causada por crenças errôneas em aspectos sociais, religiosos e políticos da humanidade, é o ego propriamente dito e é daí que surge o sofrimento.


A Unidade é o Todo que contém e está contido em tudo o que existe. Portanto, a dualidade é apenas uma percepção distorcida da Realidade e só existe na mente das pessoas.


A dualidade, na verdade, é consequência da imaturidade espiritual dos que ainda não alcançaram a compreensão da Totalidade, que ainda acreditam na separatividade entre a Unidade e o indivíduo. Entretanto, isso é natural, pois a espiral evolutiva é formada por vários níveis de entendimento, desde o esquecimento do Eu até a sua completa reintegração consciente ao Todo.


A dualidade está na mente daqueles que ainda não percebem Deus dentro de si, que ainda vivem na materialidade, deixando-se iludir por desejos de posse e poder causados pela cegueira espiritual. A dualidade é uma miragem causada pelo calor dos desejos pessoais separatistas que só almejam o bem individual. Para se viver a Consciência da Unidade, é preciso se ver como parte intrínseca da Humanidade Universal e servir para o bem comum.


Dentro deste processo, também é necessário compreender que nada acontece por acaso, tudo tem o tempo certo de maturação e a realidade é bem mais ampla do que os olhos físicos podem captar. Portanto, a ilusão da separatividade ou dualidade termina quando sentimos Deus como uma força nata em nós com poder de realização e completude infinitas. Como consequência desse sentimento, acontece a entrega total à Vontade Divina, ou seja, a reintegração consciente à Unidade.


O despertar para a Luz, na verdade, é o abrir dos olhos da alma para a realidade da UNIDADE. Na verdade, não existe destruição do ego, mas a conscientização do Eu Superior, daquele que É, que sempre foi e sempre será. A chamada ilusão de Maya termina quando conseguimos enxergar Luz não só em nós mesmos, mas em todas as criaturas, coisas e circunstancias, chegando-se à conclusão de que a dualidade é apenas uma percepção enganosa da realidade.


Observamos que o mundo material às vezes é visto como castigo, como uma fonte de sofrimento, mas ele na verdade é uma dádiva, ele é a janela por onde podemos admirar e vislumbrar a Luz. Não podemos rejeitar a experiência da Vida, pois ela é redentora e magnífica. É importante entender que a Unidade ao se manifestar na matéria tem como única causa e objetivo o Amor, portanto todas as coisas que nos acontecem são oportunidades de entendimento para a nossa evolução e resolução.


Concluindo, é a crença na separatividade que causa o sofrimento. É o egoísmo e seus desdobramentos que nos afastam da felicidade. Portanto, não deixe que o Ego moribundo o leve a acreditar que você vai perder a sua individualidade, ou se dissolver em um buraco negro se você se deixar levar pela Vontade Divina e passar a viver na Unidade, pelo contrário, você irá se reconhecer e passará definitivamente a SER.


Somos partes intrínsecas da Grande Consciência Cósmica e caminhamos cada um em ritmo próprio, tendo experiências de luz e sombras até que só se veja e vivencie LUZ, UNIDADE.

quinta-feira, 12 de setembro de 2013

VERDADE SINÔNIMO DE AMOR



A Verdade não se manifesta em ideias sofisticadas com palavras de difícil entendimento... Ela é sempre simples e direta, a mente humana é que se complica dando voltas para se desviar dela...

Para que a Verdade se revele é necessário apenas o desprendimento de preconceitos e anseios... e também a prática constante do silêncio...

A Verdade não é exclusiva de nenhuma escola filosófica ou segmento social... Na realidade Ela está profundamente encrustada em todos os corações humanos...

Portanto, não se deixe levar por palavras mirabolantes que de fato espelham mentes confusas e equivocadas... Mergulhe no silêncio e deixe que Ele busque nas profundezas da sua alma a linguagem que só o Coração pode compreender...

Deixe que o seu Coração decodifique a Verdade para você, pare de lutar e se entregue à Ele... O consolo logo virá junto com asas para voar...

Escute-o com atenção, pois quando finalmente não houver mais dúvidas ou resistências, Ele te dirá sem rodeios ou enganos que a Verdade é simplesmente o sinônimo de Amor...

Amor sempre Amor... 

Fonte: por Márian - Marta Magalhães - marian.luar@ig.com.br   http://somostodosum.ig.com.br/clube/artigos.asp?id=31877

quarta-feira, 11 de setembro de 2013

A COLHEITA


A existência humana está sujeita a alguns princípios fundamentais. Se pretendermos uma vida melhor, eles terão que ser observados. Se constituem, como leis universais para uma vida vitoriosa, necessários entre nossos sonhos e relizações.

Primeiro princípio: Na vida, colhemos aquilo que plantamos. Desejar, para si, uma vida diferente implica, necessariamente, em mudanças de atitudes. Precisamos atentar para tudo que estamos plantando. Esta lei é de Deus e é inexorável. Quem planta amor, fé, esperança e verdade, com certeza colherá frutos próprios para uma vida de bênçãos e de vitórias. COntrariamente, aquele que faz da vida um balcão de joio, pelo ódio, a incredulidade e a infidelidade, que colheita esperará?

Segundo princípio: Colhemos depois que plantamos. A Bíblia nos ensina que há tempo para tudo, tanto para semear, quanto para ceifar (ou colher). Existem pessoas que pretendem colher antes de semearem ou o que não semearam! O princípio é: plantar a fé é colher vitórias... Isso abrange todas as áreas de nossa vida! A irracional pressa dos nossos dias pretende subtrair esta verdade reflexiva. O imediatismo dos que antecipam, ou precipita a colheita, ou não tem o que colher...

Terceiro princípio: Colhemos onde plantamos. Nossa vida tem sua geografia específica. São os espaços vitais, onde vivemos as experiências mais significativas. Como, por exemplo, a nossa família, o nosso lar, a nossa vizinhança, nosso ambiente de trabalho, nossa comunidade de fé e nossa escola. Estes espaços existenciais requerem cuidados especiais, pois, neles nossa vida vai se estruturando. Os grandes traumas têm, via de regra, raízes na família. Muitas inimizades começam ond emoramos e/ou nos locais de trabalho. As decepções com a fé, geralmente, estão associadas às nossas próprias frustrações em nossa comunidade religiosa. É preciso, pois, plantar sementes novas, exatamente onde vivemos mais intensamente, pois colhemos primeiramente onde plantamos.

Quarto princípio: Colhemos sempre muito mais do que plantamos. O agricultor que planta uma semente de milho colhe espigas. Quem planta fé colhe vitórias! Quem planta amizade colhe amigos. Quem planta perdão colhe paz. Infelizmente há vidas derrotadas, solitárias e amarguradas, sem paz, vazias de afeto. Muitas vezes, estão apenas colhendo o que plantaram!

Todos desejamos uma vida melhor. No entanto, a força do desejo, por si só não é suficiente. Nem sempre querer é poder, é preciso agir também! É necessário determinação, fazer algo novo, mudar de atitudes, pois, querer e fazer são faces de uma mesma moeda. A colheita da vida será o resultado das sementes que estamos plantando.

Semear o bem e a paz, para colher felicidade, deve ser nosso ideal. Afinal, somos "sementes" de Deus para o mundo.


Fonte: por  Pr. Estevam Fernandes de Oliveira   http://www.doalto.com.br/ajudadoalto/acolheita.htm